Ir para o conteúdo

Carmo da Cachoeira
Acompanhe-nos:
Rede Social facebook_carmo
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
20
20 NOV 2021
HOMENAGEM
REPRESENTATIVIDADE NEGRA NOS MOVIMENTOS SOCIAIS
PROCESSANDO ÁUDIO
Eva Aparecida Gustavo, professora, assessora de educação na Secretaria Municipal de Educação de Carmo da Cachoeira — MG, Coordenadora Diocesana da Pastoral Afro — brasileira, integrante da Comissão PAB — Leste 2 da CNBB e ativista social. (Eva Aparecida Gustavo Gustavo)
Desde o século XIX, vários movimentos surgiram em defesa da igualdade de direitos civis, contra a escravidão e contra o racismo. No século XX, os movimentos ramificaram-se, desenvolvendo pautas de lutas sociais distintas conforme as necessidades da população negra local.
Eva Gustavo, além de ser uma excelente educadora, é uma personalidade de referência para a luta do movimento negro em Carmo da Cachoeira e região. Ela ficou conhecida através de sua atuação em defesa dos direitos humanos, da população negra e das mulheres.
Com tanto engajamento na luta, veio também muitas conquistas, motivo de orgulho para os cachoeirenses. Apesar de não haver um sistema de segregação em nosso país, o racismo mantém uma segregação social de modo velado, o que resulta na exclusão da população negra. Por isso, a atuação de movimentos como a Pastoral Afro — brasileira é importante não só para nossa pequena cidade, mas para validar sua relevância em todo o mundo.
É preciso pluralizar todas as vozes, através da ocupação desses lugares por mulheres negras. A representatividade é, portanto, assumir o lugar de fala nos espaços de poder. Quanto mais pessoas, com suas especificidades, ocupam espaços de poder, mais plurais serão as narrativas e mais justas as decisões.
Sendo assim, Eva com toda sua trajetória reforça a importância do lugar de fala, fazendo acreditar que partindo das suas experiências e do diálogo intercultural poderão ser implementadas, atendendo ao recorte de gênero e raça.
“Podemos ser negros ou branco, de religiões e crenças diferentes. Todos merecem respeito e oportunidades. Todo mundo tem sua beleza e importância nesse mundo. Somos todos iguais por dentro, e filhos de Deus”, disse Eva.
Fonte: Secretaria Municipal de Cultura
Seta
Versão do Sistema: 3.1.6 - 03/11/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia